Como funciona o antifraude?

O Pagar.me contrata os serviços de antifraude da Clearsale, que faz uma análise estatística cruzando os dados da venda, enviados através do checkout, de acordo com o algorítimo próprio que eles desenvolveram. O modelo estatístico criado pela Clearsale utiliza 59 variáveis e mais de 300 coeficientes, que indicam o grau de propensão à fraude (traduzido em uma pontuação) e dão um rápido retorno.

Alguns dados levados em consideração são: histórico no e-commerce brasileiro daquele e-mail, endereço de entrega, número do cartão e CPF. Porém, por se tratar de uma análise estatística, tampouco é infalível, sendo que a pontuação em questão indica apenas o grau de propensão à fraude, de acordo com as informações enviadas e analisadas.

Por padrão, o antifraude recusa transações que apresentarem um score de 95 para cima, em uma escala de 0 a 100 (não temos acesso ao conjunto exato que compõe o score, não podendo apontar o que exatamente gerou aquela recusa). O score do antifraude também não é estático. Conforme compramos no e-commerce, alteramos nosso histórico, e portanto nossa pontuação também muda, e assim um mesmo cliente pode ter pontuações diferentes ao longo do tempo.

Um bom serviço antifraude deve realizar a gestão do risco, garantindo para sua empresa bons índices de aprovação e chargeback, em um curto tempo de resposta. Empresas que não o utilizam correm o risco de reprovar pedidos por falsa suspeita e ter dificuldade no tempo de liberação de pedidos por inabilidade de análise, além de estarem mais expostos à fraudes.

 

Tem mais dúvidas? Envie uma solicitação

2 Comentários

  • Avatar
    Rodrigo Risso Grandesi

    Quando o cliente pede informaçoes sobre a compra não aprovada pelo sistema ante fraude,oque fazer?

  • Avatar
    A.Craft

    Rodrigo, se um cliente foi bloqueado pelo antifraude você deve agradecer pela compra não ter sido aprovada.

    Editado por A.Craft
Por favor, entre para comentar.
Powered by Zendesk